O MIS mantém mais de 90 mil itens em reservas climatizadas com monitoramento 24 horas. Possui equipe multidisciplinar formada por técnicos em conservação, história e cinema, que faz o tratamento de registros nos mais diferentes suportes: fílmicos, videográficos, fotográficos, fonográficos, tridimensionais e textuais. A atuação do Museu da Imagem e do Som estende-se a outras etapas da cadeia do audiovisual, tais como o apoio a novas produções, exibição e formação. Por meio de suas ações educativas e de difusão, o MIS contribui para o aperfeiçoamento de profissionais da área de conservação, oferecendo oficinas de preservação de acervos fílmicos, e para a formação de público, com sessões comentadas de cinema, exibições ao ar livre, palestras e seminários. Essas iniciativas atendem às mais diferentes faixas etárias, do público infantil à terceira idade, passando por pessoas em situação de rua e usuários do sistema municipal de assistência social. Sede A atual sede do MIS foi inaugurada em 30 de abril de 2008. Trata-se de uma edificação histórica, localizada na região central de Belo Horizonte. O imóvel, constituinte do Patrimônio Cultural de BH, é exemplar da arquitetura residencial da década de 1920, de estilo eclético, influenciado pelo art-noveau. A casa foi projetada pelo arquiteto e pintor Luiz Signorelli, formado pela Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro e que, em Belo Horizonte, além de ter projetado numerosas edificações, foi um dos fundadores e organizadores da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Em sua sede, o MIS abriga reserva técnica climatizada com uma antecâmara e três depósitos com temperatura e umidade relativa controladas. Possui também uma área de tratamento de acervo com mesas de revisão e higienização, atelier de restauração, espaço expositivo, sala para atendimento a pesquisas e consulta de imagens e espaço para realização de suas ações educativas. Acervo O acervo do MIS é, antes de tudo, bastante diversificado, abrangendo filmes em película, magnéticos e digitais, fotografias, objetos tridimensionais, cartazes cinematográficos, material fonográfico e documentação correlata (anotações de diretores, roteiros, fichas de catalogação etc.) Atualmente, o acervo da instituição é constituído por mais de 45 mil filmes em diversos suportes (película – 8mm, 16mm e 35mm, fitas VHS, Betacam, U-Matic, Mini-DV, S-VHS, Hi-8, DVDs e arquivos digitais), os quais trazem temas variados, em sua maioria relacionados com a cidade, como: futebol, artes, atos políticos, casos policiais, atualidades sociais; além de filmes de ficção. Seu acervo fotográfico é constituído por aproximadamente 40 mil fotografias, entre revelações, slides e negativos. Por outro lado, do acervo iconográfico, destacam-se os cartazes cinematográficos, aproximadamente 1.700 itens, entre originais e duplicatas. Um material rico em detalhes, que evidencia a história de uma época, suas qualidades técnicas e visuais, além de registrarem detalhes importantíssimos dos filmes, servindo como referência de design e ilustração da história do cinema. Além disso, cerca de 300 objetos constituem o acervo tridimensional do MIS. Associados à história do cinema, mostram um universo pouco conhecido pela maior parte do público. São equipamentos usados em todo processo de produção cinematográfica, passando pela captura de imagens, edição fílmica e projeção. Dentre os filmes preservados, destacam-se preciosos registros históricos da capital mineira como o curta “Reminiscências” (de Aristides Junqueira) que contém algumas das mais antigas imagens preservadas da história cinematográfica mineira, feitas em Belo Horizonte no período de 1909 a 1924, e cópias digitais do documentário “O Despertar do Horizonte” (de Zoltan Gluek) com imagens da capital na primeira metade do século XX. Fotografias que pertenceram à extinta TV Itacolomi, cartazes de filmes nacionais e internacionais e antigos equipamentos de filmagem, edição e de projeção são exemplos de outros itens pertencentes ao acervo do MIS. A disponibilização de todo esse material cria, assim, a oportunidade de o público conhecer um pouco mais da história do audiovisual em Belo Horizonte.

Tel.: (31) 3277-4131

Avenida Álvares Cabral , 560 - Lourdes

CEP 30.170-002 - Belo Horizonte - MG

Informações úteis

Localização

Urbana

Pontos de referência

Esquina da rua Timbiras com Espírito Santo

Horário de funcionamento

Horário de funcionamento

Tipo de visita

Não guiada, Guiada

Entrada

Franca

Atividades realizadas

Dentre as ações desenvolvidas pela instituição com o objetivo de divulgar seu rico acervo, podemos citar:
Visita orientada à exposição, visita técnica, Oficina de Conservação preventiva do Patrimônio Cultural Audiovisual e palestras sobre Patrimônio Audiovisual.

Acessibilidade