Turismo em Minas Gerais | 10 vezes que Minas provou ser a terra da gastronomia

10 vezes que Minas provou ser a terra da gastronomia

Foto por: Acervo Secult MG
Atualizado em: 03/10/2020

Minas Gerais é a terra da gastronomia, ou melhor, da boa gastronomia. Por isso, trazemos algumas curiosidades que reforçam que esse posto é nosso e ninguém tira!  Confere aí:

 1. A coxinha de catupiry nasceu em Minas

A coxinha é sem dúvida a queridinha entre os salgados. Essa perfeição, que nasceu na Europa no século 19, foi aperfeiçoada por uma mineira. E a gente fica aqui se perguntando como seria possível melhorar o que já era perfeito?! Foi em BH que, em 1972, a dona Thereza Martins criou e vendeu a 1ª coxinha de catupiry em uma lanchonete em plena Avenida Afonso Pena. Inspiração que chama, né?

2. O requeijão cremoso chegou ao Brasil em terras mineiras

Essa delícia chamada catupiry é uma receita que os italianos Mário e Isaíra Silvestrin trouxeram quando se mudaram para Lambari, sul de Minas, em 1911. O requeijão logo foi aprovado pelos conhecidos da família, que sugeriram a venda daquela iguaria. Nem precisa dizer que foi um sucesso, né? A dona Thereza Martins que o diga.

3. BH é a capital mundial de bares e botecos

Beagá tem 28 bares a cada km². Dá para acreditar? São 9.500 bares e botecos, espalhados pelos 332 km² da capital. No mundo todo, não se sabe de outra cidade que tenha tanto bar e boteco por km² como em BH. A estatística comprova: o título de capital mundial de bares e botecos é nosso!

4. BH é também Cidade Criativa da Gastronomia pela UNESCO

Apenas 36 cidades no mundo são reconhecidas pela Unesco por sua gastronomia, e Beagá está entre elas. Desde 2019, a capital mineira faz parte desse seleto grupo, lado a lado com cidades do Peru, Itália, Turquia, México e Índia.

5. O modo de fazer o queijo em Minas é patrimônio brasileiro

Os famosos queijos mineiros, conhecidos de norte a sul do país, são tão mas tão tradicionais e deliciosos que muitos já foram medalhistas em concursos internacionais da categoria. Mas seu maior título é que o modo de fazê-los se tornou patrimônio cultural imaterial do Brasil. Justo, não é mesmo? Afinal, nenhum outro estado tem um queijo com seu nome. 

6. E o ofício das quitandeiras também é patrimônio cultural

As quitandeiras dominam a arte de preparar os mais perfeitos bolos, broas, pães, doces e biscoitos. Em Minas esse ofício é patrimônio. Valorizamos os saberes e segredos dessas cozinheiras de mãos cheias. E claro, ainda garantimos assim a continuação dessa saborosa tradição.

7. Minas é a Bélgica brasileira

Minas é conhecida como a Bélgica tupiniquim, isso porque produzimos uma grande variedade de cervejas artesanais. Os prêmios internacionais não nos deixam mentir sobre a qualidade desses rótulos, esse apelido é merecidíssimo.    Se não bastasse, somos o 2º maior produtor brasileiro, em volume, da bebida.

8. A maior produção e exportação de café no Brasil é mineira

Seguimos no topo também quando o assunto é produção e exportação de café. O Brasil é o maior produtor mundial de café e mais da metade desses grãos vem daqui de Minas. Não é pouca coisa não, viu? Sem falar dos cafés especiais, que também somos grandes produtores. Vai um cafezin aí?

9. O 1º azeite brasileiro foi produzido em Minas

Minas também produz azeite. Não sabia? Maria da Fé, no sul do estado, iniciou a produção do 1º azeite brasileiro, que por sinal tem qualidade reconhecida e premiada internacionalmente. Os azeites mineiros têm ganhado lugar nas prateleiras pelos sabores que carregam nossa tropicalidade.

10. E também é campeã no consumo de carne de porco no Brasil

Com isso a gente já explica o porquê de tantos pratos em Minas terem ingredientes como linguiça, lombo, barriga, costelinha, bisteca, pernil, torresmo e por aí vai. A tradição da carne suína em Minas faz com que cada mineiro consuma, em média, 21kg por ano, sendo a média brasileira de 15,3kg.

Bônus

11. Somos a terra do pão de queijo

O simples fato de alguém ter pensado “olha, vou juntar polvilho, ovos, queijo, leite, óleo e sal, vou amassar, enrolar e colocar pra assar” já faz de Minas O Paraíso Gastronômico na Terra. Essa é a receita do maravilhoso e irrecusável pão de queijo. Não falta na mesa do mineiro, aliás, de brasileiro nenhum. E, com isso, Minas zerou a vida.

 

Sobre o Autor

Júnia Gontijo Cândido

Turismóloga, apaixonada por livros, séries, rock'n'roll e vida ao ar livre (não necessariamente nessa ordem). Atua na Diretoria de Promoção e Mkt Turístico.

Comentários