Foto: Rodrigo Carrara

O caminho tem início no Município de Tombos, na base da Cachoeira que dá nome à cidade, sendo a 5ª maior em volume d’água do Brasil e que possui a segunda hidrelétrica implantada no Brasil ainda em funcionamento. Termina no Pico da Bandeira, o terceiro maior do Brasil e o primeiro mais alto acessível. Durante todo o percurso do Caminho da Luz, fragmentos de mica e cristais emergem do solo, proporcionando-lhe um brilho especial. São 195 quilômetros percorridos pelas montanhas de Minas, passando por fazendas centenárias, matas, cachoeiras, santuários e antigas estações ferroviárias. A rota é carregada de um magnetismo que fascina a todos, atirando os caminhantes, ciclistas e cavaleiros numa viagem que ultrapassa a barreira do tempo.

Quem opera:

■ Rastro de Luz Turismo (32) 3741-2679/ 8416-0394 contato@rastrodeluz.com.br www.rastrodeluz.com.br

Por onde você vai passar

Como dividir sua viagem

Dia 1

Tombos/ Catuné – 24,7km
Café da manhã no hotel e pé na estrada. Iremos para a Cachoeira de Tombos, a quinta em volume de água do Brasil e o marco inicial do Caminho da Luz. No caminho, você passará por reservas ambientais e vai conhecer a centenária Fazenda Oliveira. Quase chegando a Catuné, o destino final do dia, você conhecerá a magia da Gruta Santa, local de grande mistério para a ciência e para os religiosos.

Dia 2

Catuné/ Pedra Dourada – 19,25 km
Logo nos primeiros quilômetros, conhecemos o Balneário da Comunidade da Igrejinha, onde existe um Santuário de Nossa Senhora Aparecida. Continuando a peregrinação, chegaremos ao Alto da Jacutinga, a aproximadamente 1.058 m de altura, onde andorinhas, sabiás, canários, bem-te-vis e uma enorme diversidade de outros pássaros saúdam o caminhante com seus cantos.

Dia 3

Pedra Dourada/ Faria Lemos – 25,2 km
Logo à frente está a Pedra do Lagarto, onde, segundo a lenda, um velho índio entoava cânticos de louvor à natureza, concentrando uma força energética que atraía os nativos. Ainda na parte da manhã, a natureza reserva uma queda d’água de aproximadamente 30 m de altura, a bela Cachoeira da Surpresa.

Dia 4

Faria Lemos/ Carangola – 22,85 km
Saída para a centenária Carangola, conhecida pelos antigos como “Princesinha da Zona da Mata”. Continuando a jornada, inicia-se a subida da Serra dos Cristais, assim denominada devido à abundância de tais pedras no leito da estrada.

Dia 5

Carangola/ Caiana – 25,5 km
Apesar da beleza de todo o Caminho da Luz, muitos chegam a dizer que esse é um dos mais belos trechos, passando pela antiga Estrada de Ferro Leopoldina. No caminho, várias nascentes, antigas construções da Estrada de Ferro, monocarvoeiros, sem falar nas paredes de bromélias, samambaias e avencas.

Dia 6

A pouco mais de uma hora de caminhada, chega-se a Espera Feliz, conhecida como “Cidade das Flores” ou “Terra Fria”. Nesse trecho, você conhecerá a comunidade de Quicé e Pedra Menina. Caparaó possui também um povo hospitaleiro, belas montanhas e uma rampa de voo livre, seguindo pela Comunidade da Galileia, rota que os índios faziam para chegar ao Pico da Bandeira.

Dia 7

Galileia (Caparaó)/ Alto Caparaó – 13,2 km
Inicia-se a caminhada, passando pela Comunidade da Boa Vista, no entorno do Parque Nacional do Caparaó, saindo dos 814 m de altura para os 997 m de Alto Caparaó, cidade ao pé do Pico da Bandeira.

Dia 8

Alto Caparaó/ Pico da Bandeira/ Alto Caparaó – 18,1 km
Depois de sete dias de peregrinação, você conquistará o Pico da Bandeira, o terceiro mais alto do Brasil e o primeiro mais alto acessível.

Atrações para você visitar