Turismo em Minas Gerais | Curiosidades sobre o Carnaval em Minas Gerais

689
Foto por: Ane Souz Fotógrafa
Atualizado em: 01/02/2024

9 Fatos curiosos sobre o carnaval em Minas Gerais

 

Se engana quem pensa que o Carnaval da Liberdade são só os bloquinhos de Beagá está muito enganado, por isso reunimos 9 cidades que tem carnavais bastante peculiares e interessantes, vem com a gente fazer essa descoberta!


 

Foto: Carnaval em Diamatina, MG.


 

Berilo

O Carnaberilo é popularmente conhecido pelo carnaval de rua na beira do rio, que ocorre durante o dia na beira do rio Araçuaí, um dos principais afluentes do rio Jequitinhonha, que por sua vez é afluente do São Francisco. O carnaval é no rio pois existe a cultura de tomar banho e fazer brincadeiras durante a festa, uma forma bem peculiar de curtir o Carnaval da Liberdade. A noite a concentração é na praça Dr Antônio Carlos onde além das barracas de vendas monta-se uma grande estrutura de palco para os show variados.


 

Bonfim

O Carnaval a Cavalo em Bonfim é uma tradição centenária na cidade. Tradição desde 1840 e único no Brasil, teve como objetivo reproduzir a tradição portuguesa das cavalhadas, lembrando as batalhas entre cristãos e mouros - simuladas em praça pública na tradição portuguesa, pela reconquista da Península Ibérica. 

 

Foto: Carnaval em Bonfim, MG.

 

Dois grupos, um com roupas azuis que representavam os cristãos e o outro com vestimentas vermelhas, os mouros, simulavam em praça pública as batalhas pela reconquista da Península Ibérica. Mulheres, homens e cavalos com suas luxuosas fantasias de veludo e ricamente bordadas fazem uma chuva de serpentinas e confetes entre os foliões.

 

Aiuruoca 

O Carnaval Antecipado de Aiuruoca é o primeiro carnaval antecipado do país, ele acontece desde 1940. Em 1938, o então pároco da cidade decidiu suspender as comemorações do carnaval por considerá-lo uma festa profana. Então, a comunidade se mobilizou e além de conseguir pular carnaval sem impedimentos, trouxe para Aiuruoca o título de primeira cidade brasileira a promover um Carnaval antecipado, que sempre acontece uma semana antes da data oficial da festa no país.

 

 

Diamantina 

A cidade de Diamantina é considerada o berço do carnaval mineiro, fortalecido e levado como inspiração para outras cidades. Preservando a preferência por artistas regionais, a forte influência é refletida por blocos centenários como o Bloco Caricato Sapo Seco que já é patrimônio cultural da cidade.

 

Foto: Carnaval em Diamantina, MG.

 

Há mais de 100 anos, o bloco desfila pelas ruas da cidade ao som das tradicionais marchinhas tocadas pela Banda Fogosa do Sapo Seco, que se tornou Bem Cultural de Natureza Imaterial em 2020. O nome Sapo Seco faz referência a um bairro de Diamantina, onde morava o criador do bloco, e a ideia era manter o anonimato dos participantes, todos homens. Por isso, os foliões saíam mascarados. Também fazem parte da tradição, as roupas feitas de chitão.


 

Itabirito

O Carnaval de Itabirito guarda em seu enredo a história e a tradição, uma delas é retratada por meio dos bonecos gigantes que dão colorido especial às ladeiras do Centro Histórico e as ruas do Circuito Central durante os desfiles de blocos. 

 

Foto: Carnaval em Itabirito, MG.

 

Os bonecos têm em sua composição fibra de vidro e alumínio, tecido, isopor, papel e madeira. Com até 4 metros de altura e pesando até 50 quilos, eles chamam a atenção e fazem sucesso no percurso dos desfiles. Na década de 1950 outros bonecos foram introduzidos nos desfiles de Carnaval de Itabirito, e se tornaram um dos símbolos do Carnaval itabiritense. Um deles era o Capeta, sátira a um dos ícones mais comentados e temidos pelos cristãos.


 

Ouro Preto

Considerado o bloco mais antigo do Brasil em atividade, Zé Pereira dos Lacaios, neste carnaval completa 157 anos. O Zé Pereira foi fundado pelos lacaios, funcionários do Palácio do Governador (grupos de foliões de rua munidos de tambores e bumbos). 

 

Foto: Carnaval em Ouro Preto, MG.

Créditos: Ane Souz Fotógrafa.

 

O nome Lacaios referia-se aos puxa-sacos e seus fraques e cartolas, que se tornaram marca registrada do bloco ouro-pretano. Ao longo do tempo, o bloco mantém suas características originais, com os “catitões” (grandes bonecos) e os “carias” (pequenos diabos), que vão tirando faíscas do calçamento como lanças.O uso de fraques, cartolas e lanternas, é uma marca do bloco. 


 

Oliveira

A cidade tem um carnaval reconhecido como um dos melhores de Minas Gerais. A sua figura principal é o Cai N Água, que nada mais é do que uma réplica adaptada dos mascarados do Carnaval de Veneza, onde os nobres se misturavam à multidão nas festas. 

 

Foto: Carnaval em Oliveira, MG.

 

O bloco carnavalesco, em 2013, foi registrado como Patrimônio Imaterial da cidade, um reconhecimento da importância desta manifestação cultural. Sua característica é a indumentária de encapuzados, com meias nas mãos para preservar a identidade; além da alegria, da música e da dança tem o intuito de atirar água uns nos outros. Na origem, os foliões entravam nas casas e promoviam a guerra de água; em outros casos mesmo as senhoras atiravam as pessoas nas tinas d’água. 


 

Pedralva 

O maior evento floydiano do Brasil acontece em Pedralva, o Bloco do Pink Floyd. Há 18 anos, o Bloco do Pink Floyd vai às ruas para levar um pouco de carnaval alternativo para os amantes e simpatizantes de rock no Sul de Minas. 

 

Foto: Bloco do Pink Floyd, em Pedralva.

 

Criado em 1998 por um pequeno grupo de adolescentes, a ideia principal era viabilizar uma alternativa de diversão e representar algo que os jovens pudessem se identificar, e ao mesmo tempo, expressar o gosto musical.


 

Santa Rita do Sapucaí 

O carnaval de rua acontece com os dois blocos tradicionais da cidade, dentre eles o Bloco Ride Palhaço que este ano completa 90 anos e o Bloco dos Democráticos. O Bloco Ride Palhaço nasceu em Santa Rita do Sapucaí em 1934, e no ano seguinte, 1935, surgia nas lides pagãs o Bloco dos Democráticos.  Rivais desde sua fundação, ambos construíram um 

carnaval dualizado, em que houve alternância de poder entre eles. Enquanto as cores características do Ride são o colorido do palhaço, o bloco dos Democráticos tem como cores o preto e o branco. 

Já de eventos particulares teremos a Casa do Ted e o Bloco do Urso que atrai um público de mais de 25 mil pessoas do Brasil todo, com atrações de grandes artistas.


 

Gostou das curiosidades? Acompanhe o Visite Minas Gerais no instagram para dicas e conteúdos diários!

Sobre o Autor

Lara Calazans

Turismóloga em formação e servidora da SECULT. Amante da mineiridade, do Vale do Jequi e de um bom café com queijo.

Comentários

O que eu procuro em Minas?