Turismo em Minas Gerais | Macucultura: Você precisa vivenciar a Arte e Cultura Quilombola!

Foto por: Jussara Costa - Paisagens do Macucultura
Atualizado em: 18/05/2021

Macucultura: Você precisa vivenciar esse Festival de Artes e Cultura Quilombola!

 

Conheça o Macucultura, um festival que apresenta cultura e arte quilombola do Vale do Jequitinhonha.

 

Já dizia o artista Minas Novense Mark Gladston, mais conhecido como Verono (in memoriam) nesta música “Jequitivale”

“Vale que vale cantar,

Vale que vale viver

Vale do Jequitinhonha,

Vale eu amo você”

Esta canção é quase um hino para quem é da região. Já foi regravada por outros músicos, e nos mostra que o Vale do Jequitinhonha realmente proporciona vários tipos de emoções! 

E os festivais culturais são uma destas tradições regionais que enriquecem nossa alma e nossos ouvidos.

 

Tradição musical do Vale do Jequitinhonha

 

O Vale é desde sempre um celeiro de grandes cantoras e cantores e tem uma tradição da cantoria popular, das jogadas de verso, das vesperatas e muita música boa contando os causos daquelas gentes!

O “Festivale”, por exemplo, é outro evento musical com grande tradição na região, são mais de 30 edições. Ali também existem muitos grupos que já gravaram em shows, como as “Lavadeiras de Almenara”e Os Meninos de Araçuaí”,com a participação do Milton Nascimento e, ainda, os cantores Rubinho do Vale  e Paulinho Pedra Azul, que carregam no próprio nome o lugar de onde vieram.

Mas a novidade em evento cultural da região e que vem ganhando força é o Macucultura: Festival de Artes e Cultura das Comunidades Quilombolas do Vale do Jequitinhonha, que chegou a sua 4ª edição no formato de evento online em 2021, afinal, o show não pode parar.

 

Como nasceu o evento Macucultura?

 

Foto: Pôr do Sol com vista da Comunidade Quilombola do Macuco, em Minas Novas.

 

Promovido pela Comunidade Quilombola do Macuco, na região do Alto Jequitinhonha, o Macucultura nasceu junto com as comemorações de aniversário de uma das matriarcas dessa comunidade, a quilombola e congadeira D. Betinha Menan.

 

Foto: Essa é D. Betinha Menan. 

 

Tradicionalmente no mês de janeiro, coladinho com as Festas de Santos Reis, quando as famílias que saem para o trabalho sazonal retornam para suas comunidades, o Macucultura se tornou o evento de reencontro, da retomada de danças, cantos, saberes e sabores tradicionais, dos causos de ontem e de hoje. Foi nesse evento que nasceu também o grupo Vozes do Macuco, resgatando cantos e versos.

 

Quais são as atrações do Festival Macucultura?

 

Foto: Seu Tomé - Macucultura 2020.

 

Durante o festival tem muito o que conhecer sobre a cultura quilombola da região. O Macucultura sempre promete um envolvimento com as pessoas do lugar, os visitantes são acolhidos como se fossem “de casa”.

Acontecem congadas, batuques, preparo de quitandas com mutirões culinários, brincadeiras tradicionais para crianças de todas as idades, rodas de conversa com benzedeiras, tamborzeiros, agricultores familiares, mestres artesãos e artesãs, mestras quitandeiras... Tudo isso faz parte da programação deste evento que dura uma semana.  Acontecem também oficinas diurnas, a caminhada ecológica e shows noturnos com artistas quilombolas de Minas Novas.

 

Foto: Cozinha preparada para Oficina de Quitandas - Macucultura 2020

 

Foto: Oficina de Quitandas e Repasse de Tradição - Macucultura 2020

 

O Macucultura envolveu inicialmente, além da Comunidade Quilombola do Macuco, outras três comunidades quilombolas vizinhas: Gravatá, Mata Dois e Pinheiro. Estas comunidades ficam em Minas Novas, mas ao longo do tempo o Festival foi se consolidando como importante referência para outras comunidades quilombolas e tradicionais em toda a região.

O Macucultura, para além de um Festival de Arte e Cultura, gerou um forte movimento cultural, ampliado agora pela oportunidade de encontrar públicos, convidados e convidadas distantes em sua edição virtual.

“O Macucultura nasceu de uma necessidade de se fazer conhecer um território vivo e valorizá-lo, com o objetivo de promover autonomia e emancipação, valorização e salvaguarda dos saberes e fazeres tradicionais, o senso de pertencimento enquanto sujeitos afro-quilombolas, a valorização do espaço ambiental e suas potencialidades aliadas à preservação, o protagonismo de sua gente e as iniciativas de defesa dos direitos humanos e justiça social. Para tanto, expressamos nossa cultura como forma de aproximação, conhecimento, reflexão e ação.” (Fala da idealizadora Jussara Costa – Mulher Negra e Quilombola da Comunidade de Macuco, uma das filhas de D. Betinha Menan –Minas Novas)

 

Foto: Essa é a Jussara Costa, idealizadora do Macucultura e filha de D. Betinha Menan.

 

Muitos pesquisadores, fotógrafos, cineastas e produtores culturais são parceiros e o desejo das comunidades é de que, após a pandemia, mais residências se organizem para hospedar os visitantes.

 

Foto: Um dos receptivos familiares da comunidade em Minas Novas.

 

Assim, o evento também tem o intuito de gerar trabalhos temporários e complementar a renda de quem vive na região com escassez de empregos.

Outro legado do Festival é que as pessoas das comunidades são beneficiadas pelas formações e troca de experiências com os oficineiros. O intercâmbio cultural amplia os horizontes de jovens que aprendem novos ofícios, são incentivados a dar continuidade às tradições, passam por formações técnicas como monitores de turismo de base comunitária, filmmakers, aulas de fotografia, teatro e artesanato de barro e bambu.

Foto: Roda de Conversa sobre Plantas típicas do Cerrado durante a Caminhada Ecológica 2020.

 

Enquanto janeiro não chega, uma dica valiosa para quem ficou com gostinho de conhecer mais sobre a cultura do Jequitinhonha nas próximas edições presenciais,é que as comunidades que participam e ajudam a fazer do Macucultura essa riqueza toda também integram a Rota dos Quilombos, um roteiro de vivências e experiências turísticas em receptivos familiares, que acontece durante o ano todo e podem mostrar um pouquinho disso tudo.

 

O que você precisa saber para conhecer mais sobre a Macucultura

 

Evento cultural: Macucultura: Festival de Artes e Cultura das Comunidades Quilombolas do Vale do Jequitinhonha

Site: macucultura.com.br

Quando acontece: Janeiro

Onde: Minas Novas, região do Alto Jequitinhonha

Dicas e informações sobre turismo no Jequitinhonha: turismoquilombolamg@gmail.com.

 

Quer conhecer mais dicas sobre o vale do Jequitinhonha e saber como visitá-lo? Leia aqui sobre a Rota dos Quilombos e conheça as Bonecas do Vale do Jequitinhonha.

 Atenção: em virtude da pandemia do Covid-19, acompanhe com antecedência se o evento será virtual ou presencial em 2022.       

Sobre o Autor

Lupri do Carmo

Turismóloga, pesquisa alimentos tradicionais e manifestações culturais, presta consultorias em turismo de base comunitária, educação ambiental e patrimonial.

Comentários