Turismo em Minas Gerais | Gosto de Minas: Receitas com azeites mineiros

Gosto de Minas: Receitas com azeites mineiros

Foto por: Cidinha Lamounier
Atualizado em: 20/11/2020

A gastronomia é uma das maiores provas da imensidão cultural e territorial de Minas de Gerais (somos o quarto maior estado do país em área). Os produtos e pratos mineiros carregam consigo uma representatividade enorme e com o queridinho do dia – o azeite – não é diferente. 
Os azeites mineiros são surpreendentes e servem de base para receitas igualmente espetaculares
Para comprovar, hoje vamos contar um pouquinho da história desse produto em terras mineiras e compartilhar duas receitas inusitadas e incríveis:  “Azeite aromático de Zimbro” e “Brigadeiro de doce de leite com café e azeite”.


Pioneirismo e tradição!


Você sabia que o primeiro azeite brasileiro foi extraído em Minas Gerais?
Em Maria da Fé foi onde tudo começou. 
Em 1935, Emídio dos Santos, um imigrante português chegou ao município para trabalhar e percebendo um clima semelhante ao de Portugal, pediu a sua esposa que trouxesse para o Brasil algumas mudas e sementes, entre elas mudas de oliveiras. 
As oliveiras foram plantadas e se adaptaram tão bem ao clima e ao solo da região que entraram até em fase de produção, despertando o interesse da Empresa Mineira de Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) em estudá-las melhor. E desde então as pesquisas evoluíram possibilitando que em 2008 acontecesse, em terras mineiras, a extração do primeiro azeite genuinamente brasileiro.
Curiosidade: Localizada ao sul de Minas, na Serra da Mantiqueira, Maria da Fé é conhecida por ser a cidade mais fria do estado, por conta de sua altitude acima dos 1.200 metros. O número de dias ensolarados e baixas temperaturas no inverno tornam a cidade o lugar ideal para o desenvolvimento de diversas culturas, com destaque para a olivicultura.


Reconhecimento que atravessa fronteiras


Motivo de orgulho, o azeite mineiro tem qualidade similar aos melhores azeites do mundo, superando e muito vários azeites espanhóis e portugueses.
Classificado como extra virgem, tem como característica mais marcante sua baixa acidez (índices entre 0,2 e 0,7%) com aroma e paladar frutado.  
Com essências consideradas tropicais e sabores variáveis mas que lembram, por exemplo, banana, papaia, goiaba e ervas, os azeites mineiros são ótimos para quem gosta de azeites suaves e “doces”, mas também vai muito bem em blends. 
Além de ser muito agradável ao paladar, nossos produtos tem feito muito sucesso entre os brasileiros por outro motivo igualmente importante: o frescor. 
Diferente dos vinhos, quanto mais novo o azeite de oliva melhor, por isso o indicado é consumi-los o mais fresco possível. É nesse quesito que a produção nacional se destaca.  Como o tempo de transporte é bem menor, o azeite consegue manter o seu frescor até chegar as prateleiras.
Mas se engana quem pensa que é só por aqui que eles fazem sucesso. Nos últimos anos, alguns dos nossos rótulos foram citados no guia italiano Flos Olei, que lista os 500 melhores azeites do mundo.
Mil e Uma possibilidades
Por toda a Serra da Mantiqueira e até em outras cidades do estado, se espalham cerca de 200 produtores, sempre preocupados em garantir o melhor sabor.
Além do pioneirismo, do frescor e do reconhecimento, as plantações de oliveiras se destacam também por outras possibilidades, como é o caso do turismo. 
Hoje várias propriedades já recebem visitantes para compartilhar seus aprendizados e  ensinar as melhores técnicas de harmonização de azeites. Com certeza é uma visita que não vai faltar sabor!
Conheça mais em: Roteiro queijo, azeites e palmito
              Roteiro azeites de Aiuruoca
Essa conversa deliciosa abriu o apetite né? Então vamos para as duas receitas maravilhosas trazidas pela chef Cidinha Lamounier
Dá uma olhada, e depois deixa aqui nos comentários qual você vai fazer primeiro!

Azeite Aromático de Zimbro

Ingredientes

250 ml de azeite extra virgem  
25 bagas de zimbro amassadas
 
Modo de Preparo

Numa panela coloque 250 ml de azeite e leve ao fogo baixo (60°C) por 5 minutos sem deixar ferver.
Retire do fogo e acrescente o zimbro. 
Tampe a panela e deixe descansar por 1 hora ou se quiser já coloque no vidro esterilizado.
Espere 2 semanas para utilizar.
Conserve refrigerado e o utilize em um prazo máximo de 30 a 60 dias.


Brigadeiro de doce de leite com café e azeite 

Rendimento: 25 brigadeiros
Ingredientes   

1 lata de doce de leite  
1 colher (sopa) de café solúvel em pó   
3 colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem  
Flor de sal

Modo de Preparo 
  
Misture em uma panela o doce de leite, o café solúvel e 2 colheres (sopa) de azeite de oliva. 
Leve ao fogo e cozinhe mexendo sempre, até a massa ficar consistente e aparecer o fundo da panela.
Retire do fogo, transfira para um recipiente e deixe esfriar. 
Use o restante do azeite de oliva para untar as mãos. 
Modele a massa em bolinhas. 
Coloque em forminhas de papel e salpique com flor de sal e café solúvel.

Sobre o Autor

Ane Lopes

Autora do seu próprio destino.Vive intensamente os desafios e multiplicidade de papéis da mulher moderna.Compartilha suas experiências de mineira e turismóloga.

Luís Carneiro

Mineiro dos pés à cabeça. Marketólogo. Turismólogo em formação. Estagiário da SECULT-MG que ama ver, ouvir e escrever sobre as belezuras desse Brasil

Comentários