• Alerta de viagem: Covid-19

    Atualizado em: 04/11/2020

    Barreiras Sanitárias

    Sem barreiras

    Funcionamento dos estabelecimentos

    Quantidade

    Hospedagem

    Maioria ou todos funcionam normalmente

    Alimentacão

    Maioria ou todos funcionam normalmente

    Parques

    Maioria ou todos funcionam normalmente

    Atrativos Naturais

    Maioria ou todos funcionando parcialmente (isto é, se está funcionando com capacidade reduzida, dias/horários reduzidos)

    Atrativos Culturais

    Maioria ou todos funcionando parcialmente (isto é, se está funcionando com capacidade reduzida, dias/horários reduzidos)

    Carga Horária

    Hospedagem

    Funcionando normalmente, como antes da pandemia

    Alimentacão

    Funcionando normalmente, como antes da pandemia

    Parques

    Funcionando com restrições de horário, mas não de dias da semana

    Atrativos Naturais

    Funcionando com restrições de horário, mas não de dias da semana

    Atrativos Culturais

    Funcionando com restrições de horário, mas não de dias da semana

Foto: Acervo Setur-MG / Sérgio Mourão

 

    Como a maioria das cidades mineiras, a história de Governador Valadares começa no século XVIII, com os aventureiros que ali chegavam, em busca de riquezas. Com o esgotamento dos minerais, a agricultura e o gado mantiveram a região. A cidade foi conhecida por diversos nomes, passando a se chamar distrito de Baguari em 1882. Em 1937 foi elevada a cidade e recebeu o nome de Governador Valadares, em homenagem ao interventor de Minas Gerais, Benedito Valladares.


    O principal atrativo do destino é o Pico da Ibituruna, com 1.123 metros de altitude, onde se pratica o voo livre. Com relevante fauna e flora, e formações rochosas pontiagudas o pico é constituído de uma área de preservação ambiental, onde se pratica o voo livre. Por causa do Ibituruna, Governador Valadares ficou conhecida como “Plataforma Mundial do Voo Livre”. O roteiro conta também com diversas cachoeiras e corredeiras. Dentre os atrativos culturais destacam-se o Acervo Arquitetônico Urbano, a Argola de amarrar Solípedes, a Catedral de Santo Antônio, a Companhia Açucareira, o Museu Histórico de Governador Valadares, o Teatro Itaiaia e o Monumento ao Voo Livre

Dica de viagem: Outro local para a prática de rapel e trekking é a Pedreira do Rapel. Ideal para iniciantes, a pedreira desativada tem cerca de 50 metros, com inclinação de 45 graus. O bairro Ilha dos Araújos oferece diversas opções para o turista. O Calçadão da Ilha é o ponto mais visitado, sendo um espaço para passeios de bicicleta ou caminhadas. O bairro também é ponto de encontro dos praticantes da canoagem.

 



 

Ver mais