Turismo em Minas Gerais | Destinos Inesquecíveis em Minas

4.451
Foto por:
Atualizado em: 28/09/2023

5 Destinos Inesquecíveis em Minas

 

Reunimos 5 destinos em Minas Gerais para todos os gostos, de natureza à cidades coloniais,

vem saber tudo e planejar sua viagem!
 

 

 

A equipe de estagiários mais viajada do estado voltou com mais dicas incríveis do que conhecer em Minas nesse dia tão especial, o Dia Mundial do Turismo!

Reunimos roteiros para todas as idades e gostos em diferentes regiões de Minas, vamos te contar tudo sobre Sabará, Tiradentes, Milho Verde, Conceição do Ibitipoca e Santana do Riacho com o olhar aventureiro dessa turma jovem!


 

Milho Verde

Para ficar na memória

por Lara Calazans

 

 

Milho Verde é um destino que faz parte de diversas fases da minha vida, visitei o vilarejo, que é distrito de Serro, com meus pais em muitos carnavais, desde criança até a adolescência, é um destino que traz muito sossego e nostalgia.

 

Sabe aquela viagem que não dá vontade de ir embora? Milho Verde é assim! Não tem como não se encantar com o lugar, com as pessoas e suas histórias, é um destino para viver! É uma vigem que engloba história (fica na Estrada Real) e natureza, para uma viagem em família ou mesmo com seu grupo de amigos.

 

Durante o dia, atividades como trilhas, banho de cachoeira caem muito bem. A tarde não tem nada melhor que sentar ao redor da Igreja do Rosário para descansar, ouvindo um som ao vivo e apreciar o artesanato. Já à noite, em cada dia da viagem experimente um jantar em algum dos bares e restaurantes com comida local, os sabores e pratos são espetaculares!


 

O que conhecer

  • Cachoeira do Lajeado

  • Cachoeira do Moinho

  • Cachoeira do Tempo Perdido

  • Cachoeira do Carijo

  • Cachoeira do Canela

  • Capela do Rosário

  • Feirinha de artesanato


 

Distância

Belo Horizonte - 250 km

São Paulo - 830 km

Rio de Janeiro - 690 km

 

Como Chegar 

Você pode chegar à Milho Verde passando por Diamantina ou por Serro, depende da sua localização inicial, sempre viajei de carro próprio, o que facilita o acesso às cachoeiras que ficam mais distantes como a Cachoeira do Tempo Perdido, em Capivari. Existem transfers e ônibus que saem de Diamantina e Serro e são bem baratos. 

 

Mesmo o carro não impedindo de curtir muito a viagem, ele proporciona mais flexibilidade em visitar vilarejos e cidades vizinhas, não deixe de ir à:

  • Diamantina - 40 km

  • São Gonçalo do Rio das Pedras - 7 km

  • Serro - 24 km

 

Onde se hospedar

Você pode se hospedar em pousadas, alugar casas grandes (para grupos grandes) e pequenas. Todos os locais do vilarejo são próximos, você pode sair para almoçar, tomar café, jantar, visitar as igrejas e comércio a pé.



 

Sabará

Uma vivência do passado no presente

por Thais Miranda

 

 

Localizada a apenas 15 km da capital mineira, Sabará possui uma rica história, um charme colonial preservado, cultura vibrante, belezas naturais e gastronomia encantadora. Foram 3 dias explorando a imensa bagagem histórico-cultural e conectando não só com o passado, mas também com o presente que se destacam tanta hospitalidade e variedade.

 

Caminhar pelas ruas de pedra, observando as construções coloniais e as igrejas barrocas que proporcionam uma volta ao período colonial brasileiro, conhecendo a história e admirando as paisagens naturais foi uma experiência forte e incrível. Viver Sabará é estar de coração aberto para cada momento único! Andar e subir morros é imprescindível, afinal, não tem como fugir deles em Minas.
 

O que conhecer

Durante a viagem, a todo momento me via rodeada pelo conjunto arquitetônico impressionante. Se você, assim como eu, adora se atentar aos detalhes e significados e ainda tirar fotos para guardar momentos e paisagens memoráveis, não pode deixar de visitar Sabará. É indispensável conhecer a arquitetura e a história por trás de cada construção. Dentre os vários atrativos para conhecer, recomendo: 

 

 

Além desses, conheci o Teatro Municipal, antiga Casa da Ópera e que foi inaugurado em 1819, sendo assim, o 2º teatro mais antigo do Brasil ainda em atividade. Sua arquitetura interna tem influência italiana, com disposição de camarotes em três galerias. Nunca tinha visto algo parecido antes!

 

Ainda, conhecer o Museu do Ouro, antiga Casa de Intendência e Fundição (única casa de intendência remanescente do período colonial), proporcionou fortes emoções ao entender e sentir mais de perto a realidade da época colonial. Ao andar pelas ruas de Sabará, o  Chafariz do Caquende e o Chafariz do Rosário, chamam atenção por suas crenças populares e sua arquitetura no meio da cidade.

 

Na região de Pompéu, vivenciei um momento de tranquilidade em meio a natureza e rodeada de conhecimento cultural no Rancho da Cultura, onde fomos incrivelmente recepcionados pelo Silas da Fonseca. Não pude deixar de experimentar a deliciosa e famosa gastronomia da região, o Ora Pro Nóbis e a jabuticaba, de que são produzidos molhos, licores, sobremesas e pratos especiais. Ao visitar Sabará, você tem que experimentar a culinária local!


 

Atividades mais ligadas a natureza

Em minha viagem explorei muito o lado histórico e cultural de Sabará, foi muito rico e emocionante, mas àqueles que preferem um lado mais natural, Sabará está em uma região de divisa entre o Cerrado e Mata Atlântica, contando com algumas áreas preservadas. 

 

O Parque Natural Municipal Chácara do Lessa, o maior parque da cidade e que está perto do Centro Histórico, que abriga considerável diversidade biológica; o Mirante do Cruzeiro no local, oferecendo uma vista panorâmica da cidade, que estão presentes ruínas e vestígios das antigas minas auríferas que podem ser observadas pelos visitantes. Há também, a Trilha Pedra Rachada que é um importante atrativo da cidade, localizada em Pompéu, ideal para a prática de bouldering e possui vistas das serras mineiras.
 

 

Distância

Belo Horizonte - 15 km

São Paulo - 600 km

Rio de Janeiro - 470 km




 

Tiradentes

A cidade histórica

por Milena Santos

 

 

Tiradentes é uma cidade histórica fundada em 1718, século XVIII, localizada na microrregião de São João Del Rei - localiza-se a 210 km de Belo Horizonte. A rica arquitetura, história e culinária são fatores que atraem milhares de pessoas. Além disso, a cidade conta com alguns festivais durante o ano, por exemplo, Festival de Cultura que ajuda a movimentar o turismo no território. 

A minha vivência em Tiradentes foi proporcionada por uma viagem de campo pelo curso de Turismo da UFMG e foi realizada no ano de 2022. 


 

Onde se hospedar

Tiradentes é uma cidade que recebe um grande fluxo turístico, então há uma variedade de oferta que atende desde o público que não abre mão do conforto, até as pessoas que só querem um lugar de preço acessível para dormir e não tem como prioridade conforto e luxo. 

A minha experiência de hospedagem ocorreu pelo Airbnb, as duas casas que alugamos comportaram de forma confortável todos da turma de 20 pessoas, além de fornecerem uma flexibilidade de horários e um espaço para confraternização. Sendo assim, uma ótima opção para quem viaja em grupo e não abre mão da liberdade. 


 

O que conhecer

Quando visitamos algum destino turístico, existem lugares que são essenciais para conhecer. No caso de Tiradentes, o centro histórico é um lugar muito importante para visitar, principalmente se você for no final do ano próximo a época do Natal, quando as lojas ficam enfeitadas com luzes, criando uma atmosfera muito bonita. Além disso, a prefeitura  faz uma montagem especial de Natal com projeções, luzes e ornamentos natalinos.

 

 

Ademais, as Igrejas são ótimos atrativos para quem curte um turismo religioso ou aprecia arquitetura, a Igreja Matriz de Santo Antônio, principal da cidade, assim como a Igreja Nossa Senhora do Rosário  e a Igreja Santíssima Trindade

Por fim, você pode visitar também o Museu de Sant’Anna, bem como o Museu Casa Padre Toledo, os quais são ótimas opções que cobram um valor simbólico para visitar. 


 

Dicas de vestimenta

Tiradentes é uma cidade de relevo bem irregular, então é repleta de morros, os quais em sua maioria são asfaltados com paralelepípedos, então recomendo um calçado confortável, com antiderrapante, a fim de evitar acidentes. 

Em relação às roupas, priorize roupas leves e confortáveis em período de calor. Na época que eu visitei, estávamos no final da primavera quase no início do verão, então os dias eram quentes e com possibilidade de chuva, por este motivo não esqueça de levar um casaco e guarda-chuva. 

 

Enfim, Tiradentes é um prato cheio para quem gosta de arquitetura, história e quem se interessa por turismo religioso. Além de ser um lugar com paisagens de tirar o fôlego para conhecer com a família e amigos. Então está esperando o que para conhecer?


 

Distância

Belo Horizonte - 190 km

São Paulo - 480 km

Rio de Janeiro - 330 km




 

Conceição do Ibitipoca 

Um vilarejo encantador

por Sofia Campos

 

 

Localizado na Zona da Mata mineira, Conceição do Ibitipoca é um distrito do município de Lima Duarte, distante 90 km de Juiz de Fora. É um vilarejo cheio de riquezas naturais e gastronômicas, porta de entrada para o Parque Estadual do Ibitipoca, um dos mais visitados do Brasil e do Estado de Minas Gerais. 


 

O que conhecer

O vilarejo tem vários eventos ao longo do ano, tem festival de blues, competições de corrida e rally, eventos de fotografia e caminhadas noturnas guiadas

Você pode contratar passeios de quadriciclo, conhecer as cachoeiras da região, e claro, visitar o Parque Estadual do Ibitipoca. Ele é dividido em três roteiros de visitação: 

 

  • Janela do Céu, o cartão-postal do parque, ficou famoso pela bela vista das montanhas emolduradas pela vegetação. Se prepare para uma trilha muito puxada, mas que vale a pena cada minuto! 
  • Circuito do Pião, que oferece uma visão 360º das montanhas da Serra da Mantiqueira.
  • Circuito das Águas, mais tranquilo e com muitas opções para banho em águas cor de coca-cola.

 

Têm pra todos os gostos: cachoeiras, piscinas naturais, mirantes, trilhas, grutas e paisagens deslumbrantes.

 

 

A vila de Ibitipoca também é muito charmosa, com construções históricas como a Matriz de Conceição de Ibitipoca e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Não deixe de experimentar o pão de canela e o queijo minas da região, que já ganhou até prêmio!


 

Distância

Belo Horizonte - 260 km

São Paulo - 450 km 

Rio de Janeiro - 260 km


 

Onde se hospedar

Quando eu conheci o vilarejo, fui voluntária no Parque Estadual do Ibitipoca e tive o privilégio de ficar hospedada nos alojamentos do parque. Lá tem área de camping, o que te dá a chance de assistir o pôr do sol em um dos mirantes e admirar as estrelas à noite, com um dos céus mais lindos e estrelados que eu já vi. 

Mas se optar por se hospedar no vilarejo, ele oferece várias opções de pousadas e chalés perto de restaurantes, bares e lojas de produtos locais para apreciar a boa gastronomia mineira, cervejas artesanais e música ao vivo.

 

 

Santana do Riacho

Viagem de um dia pela Serra do Cipó

por Gabriel Fraga

 

 

Abrangendo cinco municípios mineiros, o consagrado Parque Nacional da Serra do Cipó possui uma imensa biodiversidade no seus cerrados, campos rupestres e matas. Não é atoa que o paisagista Burle Marx deu à Serra do Cipó o título de "Jardim do Brasil", em 1950, fazendo jus a um dos conjuntos naturais mais exuberantes do planeta. 

 

A apenas cerca de 100 km da capital mineira, essa jóia natural possibilita aos belo-horizontinos e aos moradores das regiões circundantes, uma excelente opção de viagem de bate volta. Especialmente aqueles, que, assim como eu, adoram o turismo de aventura!

 

O que explorar

O carro chefe dos atrativos encontrados no parque são os geológicos e hidrográficos. Cachoeiras, canyons, mirantes, córregos e lagoas proporcionam ao turista um momento de refresco e relaxamento, são verdadeiras recompensas ao final de cada trilha! O acesso ao parque acontece em duas portarias principais, cada uma delas, sendo a porta de entrada para diferentes trilhas e atrativos.

 

Para melhor visualização das belezas encontradas no parque, foi elaborado um mapa pela própria organização gestora, mostrando o caminho que as trilhas seguem, além dos atrativos encontrados ao longo delas: 

 

 

As duas trilhas possuem atrativos de fácil, médio e difícil acesso, possibilitando que diversos públicos consigam ir e desfrutar do parque. Na ocasião que realizei o bate volta, acessei o parque pela Portaria do Retiro, e pelas Trilhas do Vale do Bocaina, visitei a Cachoeira do Gavião e a Cachoeira das Andorinhas.

 

A trilha até as cachoeiras são consideradas longas, porém leves, e pela minha experiência, a ida é tranquila, porém a volta, devido ao cansaço, é mais desafiadora. Conhecer as duas cachoeiras foi uma experiência incrível, que certamente recomendo a todos que possuam interesse em atrativos naturais.

 


 

Como se preparar

Para conseguir aproveitar confortavelmente o parque, é necessário realizar alguns preparativos e trazer alguns itens consigo. Referente às vestimentas, opte sempre por roupas confortáveis, com tecidos leves e que auxiliem na sua mobilidade. Uma dica é utilizar camisas UV e chapéus para se proteger do sol e coturnos para melhorar sua estabilidade e evitar escorregamentos durante a trilha.

Na sua mochila, além do protetor solar e do repelente, é necessário levar alguns alimentos de fácil consumo, como sanduíches, frutas, barrinhas de cereal, chocolates, biscoitos e bastante água, minha recomendação é de no mínimo 1,5 L por pessoa. E lembre-se, nas trilhas não há lixo, portanto, leve sempre uma sacolinha destinada a esse propósito. Preservar o parque significa a sua manutenção e, consequentemente, uma oportunidade de retorno.

 

Com suas roupas vestidas e sua mochila pronta, você estará preparado para viver uma experiência fantástica imerso na natureza!

 

Distância

Belo Horizonte - 123 km

São Paulo - 704 km

Rio de Janeiro - 570 km





 

Gostou de nossas dicas? Acesse “Dicas Incríveis do que Conhecer em Minas” para mais!

 

Nos siga no Instagram para conteúdos diários: @visiteminasgerais 

 

Sobre o Autor

Lara Calazans

Turismóloga em formação e servidora da SECULT. Amante da mineiridade, do Vale do Jequi e de um bom café com queijo.

Milena Santos

Turismóloga, cursando o 7° período na UFMG. Natural de Salvador-BA, mas apaixonando cada vez mais por Minas Gerais nos últimos 6 anos.

Sofia Campos

Paulista descobrindo novos horizontes em Minas. Mochileira, apaixonada por arte, natureza e viagens. Estudante de turismo na UFMG e estagiária na SECULT-MG.

Gabriel Fraga

Apaixonado por viajar e experimentar coisas novas. Mineiro com orgulho e estagiário da SECULT-MG que acredita veemente no poder de transformação do turismo.

Thais Miranda

Mineira e futura turismóloga. Apaixonada por conhecer e desbravar novos destinos e culturas.

Comentários

O que eu procuro em Minas?