Turismo em Minas Gerais | Dia da Gastronomia Mineira

Dia da Gastronomia Mineira

Foto por: Foto: Nélio Rodrigues
Atualizado em: 26/11/2020

Quem é mineiro tá acostumado com a mesa farta, a voltar do interior sempre trazendo alguma iguaria ou especialidade que o pessoal prepara com tanto carinho, a rodear a cozinha e ficar beliscando a comida ainda sendo preparada. 

A gastronomia além de estar entranhada em nosso DNA, é sem dúvida, um dos maiores tesouros e, embora a gente saiba que todo dia é dia de comida mineira, não é à toa que ela ganhou um dia só dela: entenda porque hoje é dia de comemorar!​

Data para relembrar 

Celebrado em 5 de julho, o Dia da Gastronomia Mineira surgiu em homenagem ao nascimento do escritor Eduardo Frieiro, autor de “Feijão, Angu e Couve – ensaio sobre a comida dos mineiros”. A data comemora, divulga e valoriza nossa culinária, que veio da mistura da cozinha portuguesa, africana e indígena. 

O Que Tem na Mesa do Mineiro? 

Falar de comida em Minas é falar de ingredientes simples, inicialmente colhidos dos quintais das casas, como as hortaliças, os legumes e até animais criados pelas famílias. Quem aí não gosta de um bom frango com ora pro nobis? Ainda hoje, nossas famílias representam a gastronomia mineira por meio da agricultura familiar que, além de ser super saudável tem seu charme de algo feito com carinho desde a sua plantação. 
Do campo à mesa, o nosso cardápio é conhecido por elementos, culturas e pelas regiões mineiras. Temos por aqui, 7 regiões queijeiras, o que nos torna o maior produtor do país. Os queijos mineiros além de serem premiados no mundo inteiro compõem a dupla mais romântica da história, quem nunca suspirou por um Romeu e Julieta? Vale no livro ou após o almoço, hein? 

A terra cuja capital é dos bares, os petiscos fazem sucesso, mas as bebidas também. As vinícolas do sul de Minas garantem os “tintins” das ocasiões especiais e, se engana, quem acha que só de vinhos são feitos os brindes por essas bandas.. Os happy hours, sempre muito animados, vem acompanhados de boas rodadas de cerveja, abertas pela melhor cachaça de alambique do país

Além desse tantão de trem, você sabia que, se hoje o regime do “Café com Leite” fosse adotado, não levaria esse nome? É isso mesmo! E aconteceria porque somos simplesmente o maior produtor de leite e de café do país. Podemos dizer que Minas Gerais se tornou a terra do café com leite!


Gastronomia e Turismo: um Romeu e Julieta de sucesso

Já imaginou que delícia, não só saborear os produtos mineiros mas também entender como eles são fabricados? E mais ainda, ajudar a fabricar? 

Em nosso estado, já tem tempo que vários produtores abriram suas portas à visitação, estimulando conhecimento da origem, fabricação, consumo, com possibilidades até mesmo de colocar a mão na massa. E é por isso que temos em Minas inúmeros roteiros gastronômicos, que se dedicam a preservar e a celebrar os tesouros que chegam à nossa mesa. Tem visitação às fábricas de doces, passeios a vinícolas, e como já falamos aqui, existem também verdadeiras jornadas pelas plantações de café, seja a pé, a cavalo e até de balão. No momento, não podemos desfrutar disso, mas logo logo poderemos!

Falar de gastronomia mineira é falar de amor, de paixão, de origem e, principalmente, de experiência. É impossível não se emocionar ouvindo os causos das quitandeiras mineiras cujas receitas passeiam entre gerações, ou dos alambiqueiros que viram o sustento da família se tornar artigo de luxo mundo afora. 

Nossa gastronomia é um convite aos sentidos e sentimentos e além deste 5 de julho, merece ser celebrada todos os dias. Seja pela sua capacidade econômica, social, turística ou afetiva: Viva a Gastronomia Mineira!

Sobre o Autor

Luís Carneiro

Mineiro dos pés à cabeça. Marketólogo. Turismólogo em formação. Estagiário da SECULT-MG que ama ver, ouvir e escrever sobre as belezuras desse Brasil

Paula Carvalho

Formada em Administração, Auditoria, Gestão Pública e Turismo. Ama viajar e descobrir novos lugares. Coordenadora do Núcleo de Turismo Criativo na SECULT-MG.

Comentários