Turismo em Minas Gerais | Gosto de Minas: Biscoito Espremido

Gosto de Minas: Biscoito Espremido

Foto por: Foto: Mariana Gontijo
Atualizado em: 25/09/2020

Delícia típica das mesas de café que abastecem as festas de reinado estado afora. 

Agosto é o mês do folclore e na sua tradução mais pura, folclore quer dizer cultura popular e Minas é um dos estados brasileiros que mais ressalta sua cultura popular. Nossas músicas, nosso modo de vida, nossas festas e, principalmente, nossa gastronomia, são manifestações folclóricas muito expressivas e importantes para a nossa cultura
Por falar em gastronomia, não há jeito melhor de contar nossa história que a beira do fogão, né? Na verdade, se a gente juntar a gastronomia com festa, essa combinação fica perfeita. Embora as comemorações estejam restritas aos membros da família, a gente trouxe uma receita para você celebrar a cultura mineira e uma das festas mais tradicionais do estado. 
O reinado é uma festa que atravessa gerações e representa a junção das comemorações entre as religiões de matriz africana e o catolicismo, celebrando a vitória de um rei africano que fora ludibriado e traficado como escravo para o Brasil, mas que conseguiu libertar a si e aos nativos de sua tribo. 
O pano de fundo dessa história, segundo contam os historiadores, é a cidade de Ouro Preto, mas a tradição se espalhou pelo estado e chegou até a cidade de Moema que é de onde vem nossa receita de hoje!
A chef Mariana Gontijo preparou pra gente o biscoito espremido, uma delícia que abastece as mesas de café dos reinados, cuja receita é de tradição e já pode ser considerada uma das delícias mineiras. 
Além da receita, a chef compartilhou algumas dicas muito especiais conosco, vale a pena ler e entender mais sobre essa delícia e as origens da receita queridinha do reinado! Anota aí e depois compartilha o resultado com a gente nas redes sociais. 

Biscoito Espremido


Ingredientes:
1 prato bem cheio de polvilho doce
1 prato no vínculo de banha de porco derretida
1 prato no vínculo de água
Ovos até dar o ponto de massa mole, ao ponto de “espremer”.

Modo de Preparo: 
Em uma gamela, bacia ou tigela, coloque o polvilho e reserve. Em uma leiteira ou caçarola, acrescente a banha já derretida e medida, a água e o sal e leve ao fogo até ferver. Acrescente a mistura fervente ao polvilho, aos poucos, mexendo sempre com uma colher de pau ou similar. Quando a massa já estiver resfriada, acrescente os ovos um a um e vá sovando bem com as mãos até a massa ficar no ponto mole, ideal para ser colocada em um saco de confeitar.  Em um tabuleiro, esprema a massa em formato de palitos do comprimento do próprio tabuleiro e leve para assar em forno pré-aquecido a aproximadamente 180º e deixe assar até dourar.

Considerações da Chef:
Caso não tenha saco de confeitar, pode improvisar com um saco plástico limpo e cortar uma das pontas.
O prato usado para a medida é o prato fundo estilo duralex ou esmaltado.
O biscoito espremido é uma quitanda muito encontrada nas festas populares do interior de Minas Gerais, esse, em específico, era muito utilizado nos cafés da Festa de Reinado, nas Folias de Reis e São João em Moema.
Sigo a receita ancestral e respeito suas medidas, seus utensílios e técnicas de preparos, pois acredito que a valorização da nossa cultura está no sentimento de pertencimento a ela e no ato de se reconhecer e dominar todas as suas formas de expressão, por esse motivo, não traduzo, converto, ou adapto as receitas aos padrões eurocentristas. 
Fazer quitanda é uma arte. A arte de intuir, de conhecer o ingrediente, de cozinhar com a alma ao invés de uma ficha técnica, de improvisar, de adaptar e de dominar um saber fazer recebido ancestralmente. Essa é uma técnica extremamente complexa e deve ser respeitada, valorizada, ensinada e aprendida na sua forma genuína.

Gostou? Conheça mais uma receita típica do reinado aqui!


Comentários