Essa brincadeira surgiu originalmente no Rio de Janeiro e se difundiu pelas cidades de Ouro Preto, Olinda e Mariana. Nos finais do século XIX o Zé Pereira havia se convertido em uma das principais referencias culturais da população. Os catitões, como são chamados, tornaram-se a versão marianense da Queima do Judas, mas com a especificidade de que eram utilizados para os desfiles e não para os tradicionais linchamentos. Apesar das reclamações quanto ao seu caráter grotesco, a população marianense prosseguia na preparação de vestimentas irreverentes e no emprego dos bonecos como um brinquedo para a rua. Sendo assim, na década de 1960 a brincadeira seria retomada como uma importante alteração, os bonecos ganharam destaque, tornando-se o principal atrativo juntamente com as cantorias, batidas de latas e batuques que são características dos desfiles. Além de campo, quadra, área de lazer e vestiários, também se verifica a existência de um galpão no qual os bonecos são alojados. Portanto temos hoje em dia a Toca do Zé Pereira como um símbolo da identidade nacional.
Ao final da década de 1990, o desfile começa a contar com bonecos confeccionados com caricaturas de personalidades do meio televisivo, todos os anos os participantes se reúnem para confeccionar, reparar e trajar os catitões. Atualmente, iniciativas particulares e prefeituras fornecem verbas e auxílios. Por ser um desfile popular e antigo para a comunidade, o desfile ocorre em outras épocas do ano além do carnaval, como o Dia de Minas, pois, sua presença é sempre requisitada em eventos de Mariana e região. Os bonecos possuem em média, dois metros, mas podem chegar aos cinco metros de altura e peso médio de dez quilos. Para a produção de um boneco inteiramente novo a primeira providência é a obtenção de varas de bambu, taquara, papelão, cola e espuma (para os suportes). Por ser largamente conhecido em Mariana, o Zé Pereira abre o carnaval em Mariana, os foliões vestem os trajes e concentram em frente a Escola Estadual Dom Benevides, após o cortejo, os participantes do desfile os desmontam e já fazem alguns ajustes se possível, sempre contando com o bom humor. O Zé Pereira sempre aborda um personagem de telenovela ou então uma personalidade pública que teve destaque em determinado período, além de personalidades marianenses.

Tel.: (31) 3557-4405

Rua Salomão de Vasconcelos, s/n - São José/Chácara

CEP 35.420-000 - Mariana - MG

Informações úteis

Localização

Urbana

Pontos de referência

A partir do Centro Histórico, o galpão do Zé Pereira fica próximo ao Museu da Música.

Horário de funcionamento

Horário de funcionamento

Observação sobre funcionamento

Horários sob agendamento.

Tipo de visita

Guiada

Entrada

Franca

Atividades realizadas

Oficinas pre-agendadas e visitação ao galpão onde os bonecos são feitos e mantidos.

Acessibilidade